quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Textura perene


Antes do passo, a ode resiste
Na morada,sobrevive, sofrida
Ódio-amor, flor enlouquecida 
Na vida essa poesia recriaste

Nessa poeria que há em mim
A paixão que a ilusão acredita
Perseguindo a alma que canta
Com seu perfume de jasmim

Florecendo a vida nesse cetim  
E foi sombra, mágoa e canção
Mas será luz,  águas e oração
A alma clama essa união,enfim

Um corpo duas almas,sedução
Textura perene desse coração





Um comentário:

  1. Todas ressaltam sua identidade poética, força e sensualidade. Lindo!
    Bjão

    ResponderExcluir